Schwanke (1951-1992) “Rosa e Azul de Renoir " (1979), na exposição "Tessituras Contemporâneas"

Added on by Gabriela Loyola.

Picta expõe a obra do artista joinvillense Schwanke (1951-1992) “Rosa e Azul de Renoir " (1979) e apresenta artistas contemporâneos de Santa Catarina que dialogam com seu pensamento. Um recorte da arte no qual a reciprocidade existencial pressupõe diferenças e semelhanças que ajudam a enriquecer a comunicação do ser humano, com o outro e consigo mesmo.

Sobre Schwanke
Luz, sombra, ironia, seriação, ressignificação, poesia. Luiz Henrique Schwanke (1951-1992) nasceu em Joinville/SC, completou a graduação em Comunicação Social na Universidade Federal do Paraná (UFPR).

 http://www.schwanke.org.br/plataformaeducativa/imagens-do-artista/

http://www.schwanke.org.br/plataformaeducativa/imagens-do-artista/

Nas artes plásticas – campo de efervescência em 1980/90 - produziu mais de cinco mil obras, entre desenhos, esculturas, pinturas e instalações, lançando noções de arte pública e contemporaneidade, conectado ao movimento artístico internacional.

Ganhou prêmios e conquistou reconhecimento, como a seleção pela Bienal Brasil Século XX, em 1994. Viajou para a Alemanha, Suécia e Rússia, teve trabalhos expostos no Museu de Arte Moderna de Bruxelas (Bélgica).

Com a obra “Cubo de Luz – Antinomia”, levada a São Paulo em 1991, afetou o tráfego aéreo – única representação do Estado de Santa Catarina (a projeção é lembrada no livro Bienal 50 Anos). As provocações também surgiam de monumentos de  baldes plásticos coloridos, carrancas retratadas em pinturas expressionistas – nuances artísticas, com conceitos híbridos, que visitaram a geometria do Minimalismo, as novas linguagens do Concretismo, a apropriação do Barroco, o resgate da Pop Art.

A produção de Schwanke continua viva, objeto de pesquisa de estudiosos de diferentes instituições e lugares.

http://www.schwanke.org.br/plataformaeducativa/